quinta-feira, 2 de julho de 2009

Fretado. Eu uso, e você?

Dia 27 deste mês será a data limite que os ônibus fretados têm para circular livremente na cidade de São Paulo. A partir de uma decisão da prefeitura, cerca de 5.670 ônibus e 280 mil usuários devem ser prejudicados.

Foi criada uma ZMRF (Zona Máxima de Restrição aos Fretados) que abrange uma área de 70 quilômetros quadrados do centro expandido Funcionará mais ou menos como o rodízio de caminhões que também foi implantado na cidade.

O objetivo é criar “bolsões” em alguns pontos da cidade para que estes ônibus possam fazer o embarque e desembarque de passageiros sem atrapalhar o transito – argumento este usado pela prefeitura para proibir o fretamento. A partir destes bolsões, o usuário terá de pegar ônibus coletivo, metro ou trem para chegar ao destino final, já que vias importantes como Faria Lima e Luis Carlos Berrini ficarão proibidas de abrigar fretados.

Ou seja, alem do dinheiro desembolsado mensalmente para pagar o serviço de fretamento – que já não é barato – o usuário deverá gastar pelo menos o dinheiro de mais uma passagem de transporte coletivo.

Em sua entrevista coletiva, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, afirmou que a cidade tem estrutura suficiente de transporte urbano para atender a cidade de São Paulo até mesmo em seus horários de picos.

Daí há que se fazer algumas considerações:

-quem é usuário de transporte coletivo em São Paulo sabe que é praticamente impossível viajar com segurança, tranqüilidade e conforto até o trabalho ou até em casa. Primeiro porque a quantidade de ônibus disponíveis diminui a cada ano. Uma reportagem do jornal “Folha de São Paulo” de 29 de junho mostra que neste ano, a frota de transporte publico em São Paulo perdeu 207 veículos, embora a quantidade de passageiros tenha aumentado em 220 mil.

Como reflexo da quantidade insuficiente de transporte coletivo, as pessoas têm de optar ou por ficar parada no ponto esperando um ônibus com mínimas quantidades de dividir espaço – o que é quase impossível – ou ficar pendurada nos degraus, o que quase sempre acontece.

Aliás, não é raro encontrar notícias de acidentes envolvendo este tipo de problemas.

E uma outra questão não menos importante é a violência que os usuários de transporte público estão sujeitos. Também não é raro encontramos notícias de assaltos em transportes públicos.

Mas, além de tudo isso tem um outro detalhe que talvez a prefeitura não esteja pensando. Grande parte dos usuários de fretamento possui carro e faz uso do fretado apenas por conforto, porque afinal, é muito mais cômodo poder ir e voltar do trabalho dormindo em uma poltrona confortável enquanto alguém dirige por você.

E, também, grande parte tem o fretado pago pela empresa. Ou seja, se não usarem este beneficio, usarão o beneficio do combustível pago.

Então, a conclusão a que se chega é que com esta medida de restrição aos fretados – cujo motivo ate agora não ficou muito claro- é quase certo que o numero de carros nas ruas de São Paulo vai aumentar e muito. E o trânsito que já é caótico, deverá ficar inaceitável.

Isso porque, em média, cada fretado é responsável por tirar pelo menos 20 carros por dia das ruas, e, se pensarmos que a cidade possui quase 6 mil fretados, basta fazer a conta para imaginar como ficará o trafego na capital paulista.

Então, fica a duvida: a quem esta medida vai beneficiar?

2 comentários:

*Cah* disse...

oi...
passei pra conhecer seu espaço...

ai, realmente essa medida num tah com nada... eu acho que vai eh prejudicar todo mundo..!

imagina se 40 pessoas usam o seu fretado. dai com essa nova norma todas essas 40 pessoas resolvem ir usar seus carros... soh vai deixar o transito de sp mais infernal do que jah eh!

ai... esse governo tah tristee viu!

bom.. voltarei logo...
gostei do blog!

beijos!
e boa semana!

disse...

Carol, temos mil coisas em comum então.
Bem, por enqt nao sao coisas muitos boas, né... mas como temos que superá-las, espero muito que possamos nos ajudar SIMMMMM!
Abaixo SP e crise dos 7 anos!
;)

Já vou te add lá no meu cantinho para sempre passar por aqui.

Beijokas